Assim deveriam ser as bibliotecas

Enquanto o Governo do Estado levou quase dez anos para reformar o prédio da Biblioteca Pública Câmara Cascudo no Rio Grande do Norte, a China continua a demonstrar sua intenção de se firmar como potência mundial.

Em 2018, o escritório de arquitetura norueguês Snøhetta venceu o concurso internacional para projetar a nova biblioteca do subcentro da capital chinesa e desenvolver o design arquitetônico, paisagístico e de interiores em parceria com a empresa local ECADI.

A construção começou em 2020 e deve ser concluída até o final de 2022. Apenas três anos para uma nova biblioteca oferecer um espaço contemporâneo e atemporal para aprendizado, compartilhamento de conhecimento e discussões abertas, além de celebrar a riqueza cultural de Pequim e da China em geral, utilizando tecnologia, design inteligente e recursos locais.

O grande espaço aberto da biblioteca é projetado para unir as pessoas – espacialmente, mas também intelectualmente: a grande paisagem de leitura promove a distribuição e o acesso ao conhecimento e cria uma experiência distintamente diferente das seções convencionais das bibliotecas.

Essa abertura dá a pessoas de todas as idades a oportunidade de se encontrar em uma superfície e interagir em um espaço semelhante a um anfiteatro. Espaços abertos semelhantes projetados para promover a interação e a troca de conhecimento podem ser encontrados em diferentes locais em todo o edifício.

Por causa da fachada do edifício altamente transparente, a biblioteca revela suas atividades internas para os transeuntes, convidando-os a este espaço generoso. Assim deveriam ser as bibliotecas.

No interior do edifício, o vale central forma a espinha dorsal da biblioteca. Além de servir como principal espaço de circulação do lado norte do edifício para o lado sul, liga as pessoas a todos os espaços relevantes no topo e sob a paisagem de leitura.

A biblioteca foi projetada intencionalmente no meio de uma floresta natural. Através de suas paredes de vidro, o entorno arborizado convida as pessoas a se sentarem e fazerem uma pausa a qualquer momento em sua jornada pelo edifício – criando uma zona informal e a noção de sentar sob uma árvore lendo seu livro favorito.

Enquanto a China segue na busca de supremacia, construindo uma biblioteca que pretende ser uma floresta de conhecimento, aqui no RN as bibliotecas estão a anos luz de distância do que vem sendo praticado no mundo que deseja crescer através da leitura e do conhecimento.


Cícero

Se ao lado da biblioteca houver um jardim, nada faltará.

Mark Twain

Em uma boa biblioteca, você sente, de alguma forma misteriosa, que você está absorvendo, através da pele, a sabedoria contida em todos aqueles livros, mesmo sem abri-los.

Assista ao vídeo sobre a gigantesca biblioteca chinesa em Tianjin, apelidada de “o olho”:

You Can Climb A ‘Book Mountain’ In This Gigantic Library In China

Leia também: Quem vive de passado é museu, de presente e futuro, também; Futuro que se faz presente; Depot – um grande armazém de arte.

Leia também

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *