Carta ao ipê

Natal/RN, 30 de julho de 2022 Meu caro ipê, Era para ser um final de semana comum. Quase ficávamos na cidade do sol (que nos últimos meses, mais parece cidade da chuva), mas a notícia de que o clima estaria bem frio para os padrões potiguares, nos fez optarmos pela serra. Acordamos no sábado sem o barulho insistente do despertador – coisa rara de acontecer para ciclistas madrugadores. Uma rápida […]

Continue Reading

Tempo de arrumar a biblioteca

Tempo de arrumar a biblioteca. Pequenina como eu, mas de imenso valor pessoal. Decidi deixar os livros que mais gosto, porque, para mim, o toque, o cheiro e o manuseio ainda são elementos importantíssimos da leitura. Passei por livros que nem lembrava que tinha lido, mas sei que construí muito do que pouco sei através deles. “Uma vida entre livros – reencontro com o tempo”, de José Mindlin está aqui; […]

Continue Reading

Alegria de um bom inverno sertanejo

Domingo de descanso, acordo bem cedo. Notícia fresquinha do irmão caçula. Desperto ligeira: a chuva anunciada na noite anterior por Canindé rendeu 145mm. Na fazenda Queimadas, as águas correram rapidamente, transbordaram o açude grande ressecado por anos seguidos de estiagem, que está sangrando de ponta a ponta. Vamos ver a sangria? É programa que enche os olhos do sertanejo e estampa o sorriso no olhar. Nada de domingo preguiçoso, é […]

Continue Reading

Hoje é dia de São José

As nuvens estão se achegando, o calor abafado é bom sinal; vento em rodopio e as esperanças dão uma guinada. Depois de vários anos de estiagem, parece que em 2022, Deus vai ser misericordioso com o Nordeste. 19 de março, hoje é dia de São José. Na capital, as águas desabaram com força; em pouco tempo, ruas alagadas, trânsito caótico e indiferença à data. No interior, marco temporal para um […]

Continue Reading

Domingo de chuva, jazz e leitura

Os aplicativos nem sempre confiáveis de previsão de tempo já anunciavam a possibilidade de chuva nos próximos dias. Os pingos começaram a cair timidamente durante o sábado, para engrossar as goteiras no meio da noite, com direito a estrondo de trovões – coisa rara na Cidade do Sol. A manhã surgiu preguiçosa, uma luminosidade acanhada, atrasada em nascer. Por incrível que pareça, despertei com o sol lutando para aparecer por […]

Continue Reading

Ponte Newton Navarro

“Eu não acho cidade mais bonita que Natal, nem rio mais bonito que o meu rio. Eu vi uma vez o Sena. Achei uma porcaria. Vi também o Tejo e achei também uma porcaria. Mas o Potengi não. Que Azul!! E os morros que protegem a cidade? E as madrugadas? E as estrelas da manhã? Só em Natal tem essas coisas. A estrela repetida no forte da pedra… uma cidade […]

Continue Reading

Pedal do contraponto

Dia tão azul, maré seca de lua cheia e um convite para pedalar na beira-mar. Uma avó que quer se manter ativa e um infinito chão de areia. Mesmo com a preguiça do veraneio, mergulhei no passeio de bike. Nem ouvi o vento passar, fui no sotavento, tomando banho de sol e de recordações dessa praia que me acolhe desde a infância. Muriú sem as placas e samburás da época […]

Continue Reading

O mar está para peixe

O mar está para peixe e para banhista também. Maré morta bem viva! Água de um verde esmeralda, transparente. Se o chão fosse de calcário, seria um Caribe; ou Maldivas, porque está na moda. Com o chão de areia gostoso de pisar, estou mesmo em praia potiguar, Nordeste brasileiro, meu país, nosso Brasil, Porto Mirim. Bem atracada, observo a maré baixando, ainda preamar de Lua crescente. Vamos ao mar? Um […]

Continue Reading