Ufa, cheguei em casa

Em pausa para recarregar, refleti sobre a importância de diminuir o ritmo de vida para resgatar hábitos saudáveis esquecidos. A desaceleração veio de forma impositiva pela força de um vírus traiçoeiro, que fez a humanidade repensar seu caminho; tempo de aprendizado. Muitos estão optando pela volta às origens rurais, descobrindo belezas e riquezas bem próximas, sem a necessidade de longas jornadas. Nesse espírito, tenho frequentado quase semanalmente a região serrana do Agreste potiguar, construindo um sentimento de pertencimento. E a minha ini(a)miga, a bicicleta, está fazendo parte desse caminho, revelando-me paisagens sob novos ângulos. Os aromas do campo sorvidos gradualmente […]

Continue Reading

Quem vive de passado é museu, de presente e futuro, também

Cais do Sertão – foto de Nelson Kon, capturada no site de Brasil Arquitetura Quando se fala em museu, vem logo à mente a imagem de coisas velhas e construções antigas, daí o dito popular: “quem vive de passado é museu”. Mas, e se a cidade é aberta para mesclar o novo e o antigo, criando construções contemporâneas, atraindo um público que se interessa por aspectos culturais, antropológicos, geográficos e tantos outros que marcam a história e constituem o patrimônio de um povo? Ainda bem que muitos lugares têm cabeças abertas para transmitirem às novas gerações as lições do passado, […]

Continue Reading

Uma vida em preto e branco

Pedra da Caridade | Monte das Gameleiras/RN O mundo virtual chegou para ficar. Em tempo de pandemia, a internet tem ajudado muitas pessoas a enfrentarem o isolamento social, não resta dúvida. Mas, se você tem a possibilidade de mesclar o ambiente tecnológico com escapadas à natureza, você é um privilegiado. Me incluo nesse grupo. Tenho intercalado meus dias confinados no apartamento com finais de semana na serra, onde posso pedalar e respirar o ar puro do campo. Entre idas e vindas na estrada, recebo um convite para participar do desafio no Instagram de postar fotografias em preto e branco, sem […]

Continue Reading

Natal, Hope e SCBEU

Foto capturada no site do Project Hope Espalhados na sala de estar, as crianças e adolescentes da Rua Capitão Abdon Nunes recebiam as primeiras lições de inglês com a professora Diane Benjamin, farmacêutica do navio/hospital HOPE, atracado em Natal/RN em fevereiro de 1972, para atender a população carente de uma medicina mais avançada. Estava com oito anos de idade e foi o meu primeiro contato com o inglês. Lembro bem da visita que fizemos ao navio, levados por nossa teacher, matando a curiosidade dos alunos e com direito a um jantar no restaurante bandejão (uma novidade naquela época), lugar onde […]

Continue Reading

Haia (Den Haag) e seus encantos

Falando sobre viagem, Quintana enaltece as janelinhas dos trens, que vão tirando sucessivos cartões postais da paisagem. Mas, para quem quer ir um pouco mais longe e descobrir o mundo, tem que abdicar do trem e utilizar o avião, ou, quem sabe, vestir-se de coragem e navegar a Terra, que deveria se chamar Planeta Água. Há dois anos atrás, visitei a Holanda com meu marido. Entramos por Amsterdam, passamos por Utrecht e terminamos nossa viagem em Haia (Den Haag, para os holandeses). Várias janelinhas se abrindo e eu registrando nossos cartões postais no celular. Em Haia, ficamos hospedados no Residenz […]

Continue Reading

A primeira “quebrada” a gente nunca esquece

Na véspera, o primeiro dilema foi decidir se brindava a noite na serra, iluminada pela lua cheia, desfrutando de um jantar compartilhado na feitura e na degustação, ou evitava o álcool para um rendimento melhor. Como meu espírito de atleta não é lá essas coisas, preferi não fazer sacrifício e tomei duas merecidas taças de vinho. Fui dormir sem o nervosismo que antecede as grandes pedaladas do meu marido (acho que a dopamina ainda não foi injetada em meu corpo, rsrsrs). Ele partiu mais cedo com meu filho, porque iriam fazer a parte mais complicada do percurso, perto da Pedra […]

Continue Reading

Arte no limite do corpo humano | The art within

Ele é natalense, mas tem o biótipo de um lorde inglês, fala mansa, educadíssimo, altura de mediana para cima, com o corpo esguio de quem consome grande parte de suas energias, gerando novas energias. No caso dele, produzindo arte em seus pedais e corridas na madrugada. Conheci Gustavo Jansen Lyra por intermédio de meu marido, nas inúmeras amizades que a bicicleta congrega. Depois descobri que ele havia sido DJ no bar que meu irmão possuíra aqui em Natal e viajara com minha mãe, mostrando as belezas do Rio Grande do Norte a um casal alemão que a visitava. Ele também […]

Continue Reading

Dança e música no cinema

Foto capturada no site www.picanhacultural.com.br Na mitologia grega, Zeus criou as nove deusas da arte para que elas cantassem e dançassem a vitória na batalha contra os Titãs. Terpsícore, a deusa da dança, atribuiu aos humanos a arte da dança, usando da sensibilidade para colocar o corpo em movimento. Euterpe, a deusa da música, foi encarregada de extrair o som dos instrumentos musicais. A sensibilidade atribuída aos humanos pelos deuses permitiu a junção da música e da dança em várias formas de manifestações culturais ao longo da história. Bem distante da mitologia grega, já no século XX, a sétima arte […]

Continue Reading