Brincadeiras de rua

Painel da Ocupação Lydia Hortélio – Itaú Cultural/SP Entre três irmãos, sou a única mulher e a filha do meio. Tinha um quarto só para mim, apesar de conter duas camas. A janela era alta e tinha grades de proteção (coisa de pouca utilidade à época). Então, como a violência não cerceava nossa liberdade, ao invés de olhar pela janela, saia pela porta da frente para vivenciar minha infância. Os muros das casas ainda eram baixos, serviam apenas para delimitar a propriedade, sem qualquer função de proteção. Cercas elétricas nem existiam. Morávamos numa rua tranquila de paralelepípedo, o terror para […]

Continue Reading

Casa no campo

Tenho uma casa no campo, roça, zona rural, interior ou qualquer outra palavra que queira denominar uma morada junto à natureza, tocando a terra, sentindo o cheiro do mato, dormindo, acordando e trilhando paisagens que variam com as estações do ano. Descobrir sons matinais, do entardecer ou o silêncio noturno que não se cala. Alegrar-me com o coaxar dos sapos, rãs e pererecas que se encharcam com a chegada das chuvas, mas trazem as moscas que importunam a nossa mesa. Fugir de um enxame de abelha que vem zunindo em minha direção – sinal que a floração está atraindo a […]

Continue Reading

Piquenique

Na minha infância, fui leitora assídua de revistas em quadrinhos. Li de Walt Disney a Hanna e Barbera, passando por Bolinha e Luluzinha e a Turma da Mônica. Aguardava as revistinhas chegarem na cigarreira da esquina. Ninguém aqui chamava de banca, era cigarreira mesmo. Ainda influência do cigarro como moda nos anos 50/60, tempo de James Dean, o rebelde sem causa de Juventude Transviada. Zé Colmeia e Catatau, de Hanna e Barbera, nem estavam entre os meus personagens preferidos, mas um fim de semana na serra, compartilhado entre oito amigas que o pilates reuniu, bem que renderia um animado piquenique, […]

Continue Reading

Mont Ventoux – parte II

Acesse também: Mont Ventoux – parte I A partida ocorreu na esquina próxima à Bédoin Location. A placa indicava a estrada D-974, Mont Ventoux a 22km, sendo a parte mais dura o percurso de 1km a 23% de inclinação – Gigante da Provence. No mesmo local, uma placa em memória do ciclista britânico Tom Simpson. Henrique seguiu na bike alugada, sem nem bem ajustar a altura do selim, tamanha era a ansiedade para iniciar o desafio. George seguiu junto, familiarizando-se com a bicicleta elétrica, que representava uma ajuda indispensável para chegar ao topo. Nós, as mulheres, partimos em seguida, devagarzinho, […]

Continue Reading

Mont Ventoux – parte I

Em tempos de competição de ciclismo, meu marido assiste na TV aos Tours da França, Espanha, Itália e Suíça. Para mim, basta uma passadinha rápida pelos cenários incrivelmente belos das paisagens naturais ou dos monumentos que são mostrados nos percursos. Numa viagem à França, surgiu a oportunidade de conhecermos o Mont Ventoux, uma das etapas mais difíceis do Tour de France. Subimos de carro, deslumbrados com a altura do monte, o número de ciclistas que encaram o desafio e a vibração de quem chega lá reverberando pelos poros. No percurso, testemunhamos um ciclista desconhecido que sucumbiu ao esforço do coração, […]

Continue Reading

Sol de primavera

Uma visita a um país do norte europeu pode despertar o significado da primavera e verão – estações não definidas no nosso calendário, mixadas em perenidade. Quem tem o ano quase completo com a temperatura de verão, batizando a sua cidade Natal como noiva do Sol, não valoriza essa bênção. Em Amsterdam, sentar num banco da Museumplein e ver a vida passar permite a você sentir o calor humano de uma tarde ensolarada de primavera. Termômetro marcando 14 graus e as pessoas sentadas no gramado às 19:30, quando a noite ainda nem bem deu as caras. Nessa época do ano, […]

Continue Reading

Macambira e cajás

Quando estou no interior, gosto de desbravar caminhos, conhecer novas terras, descobrir encantos. De vez em quando, pego carona nas pedaladas do meu marido para fazer tudo isso. Ele acordou cedo. Foi matar a vontade de subir e descer ladeiras, testando seus limites. Voltou para casa e chamou os amigos para conhecer seu percurso. No carro, logicamente. A turma não tinha o seu preparo físico, exceto seu companheiro de pedal. Fomos de camionete. Um homem na direção, quatro mulheres na boleia (para quem não sabe, é a parte fechada da cabine) e três marmanjos na carroceria, indicando o caminho pelas […]

Continue Reading

Noite na serra

A geografia acidentada, os contornos das serras e o volume de pedras gigantescas em saliência deixam a visão tonta de tanta beleza, surpreendendo em todas as direções. Mas o cair da tarde revela uma nova surpresa. A luz natural esmaecendo e pontilhões de luzes começam a piscar, incessantemente, denunciando a presença humana em cidades circunvizinhas. Uma quase continuidade infinita. Falo da Serra de São Bento, interior do Rio Grande do Norte, onde a altitude – 400m aproximadamente – já faz uma diferença invejável ao calor incessante do nordeste brasileiro. Em meados de abril, a lua surgiu “amostrada” como disse um […]

Continue Reading

Por que não falar de tulipas?

Jardins do Keukenhof

Em um mundo cada vez mais recheado de notícias negativas, por que não falar de tulipas? Há exatos 23 anos, visitei o parque Keukenhof, na cidade de Lisse/Holanda, distante 35km de Amsterdam. Não conhecia as tulipas de perto, foi amor à primeira vista. A variedade de cores, a organização do parque, a disposição das flores, tudo me encantou. No meu íntimo, prometi um dia retornar para reviver a emoção. A promessa concretizou-se esse ano. Voltei cheia de expectativa, morrendo de medo de a segunda visita não ter o mesmo encantamento da primeira e ainda levando quatro mulheres comigo – que […]

Continue Reading

Invernada

Invernada

Escrevi essa crônica em 2008, quando o inverno chegou abundante em nosso sertão. De lá para cá, a chuva resolveu dar uma trégua, a estiagem assolou toda uma região. Passamos sete anos com pouquíssimas chuvas, chegando até a secar o açude Marechal Dutra, conhecido por Gargalheiras, no município de Acari/RN. Esse ano de 2019, as águas estão voltando com força e parece que teremos um bom inverno, com os reservatórios acumulando água, as plantações brotando, a fartura chegando. Decidi postar a crônica “Invernada”, publicada em 2014 no livro “Sertão, Seridó, Sentidos”, de minha autoria, como forma de manifestar a satisfação […]

Continue Reading

Serra de São Bento

Serra de São Bento/RN

Conhecemos a região numa competição de ciclismo, em 2010. Meu marido, meu filho e meu cunhado participavam e eu vim de acompanhante – minha vontade incansável de desbravar novas terras. Ficamos apaixonados por essa visão infinita. Passamos a frequentar o lugar desde então. A estrada de Passa e Fica a Serra de São Bento surpreende a cada curva. E são várias no caminho, subindo e descendo paisagens deslumbrantes. Quando o verde se instala, então, é overdose de contentamento. Verde novo, vivo verde, babugem nova, folhagem ressuscitada, verde ressurreição. Um grito estridente de verde! Estado de pleno espírito. Ondulações e mais […]

Continue Reading

Honestidade

Bicicleta da honestidade

Vagando por uma rua do comércio paulistano, deparo-me com uma bike estacionada na esquina. O que primeiro me chamou a atenção foram as figuras de literatura de cordel estampadas no carrinho acoplado à bicicleta. O preto destacando-se no amarelo chamativo. Na bancada, cactos em vasinhos de cimento expostos à venda, R$ 20,00 a unidade e, pasmem, nenhuma pessoa tomando conta do comércio inusitado. Aproximo-me e leio a placa preta com letras brancas – estilo lousa de escola antiga, com o branco do giz em destaque: “Escolha o seu produto, efetue o pagamento no local indicado, siga-nos no Instagram! Contatos e […]

Continue Reading

Crianças à beira-mar

Crianca brincando na praia

Numa caminhada matinal quase diária durante o veraneio, sigo beirando o mar, desviando das espumas que ainda insistem em tocar meus pés descalços, enquanto a maré recua, ampliando a faixa de areia para os frequentadores da praia. Passo apressado para queimar os excessos da temporada. Treino o olhar de fotógrafa, enquanto tento assimilar os quadrantes e transporta-los para o papel de cronista. Respiro o cheiro do mar, piso na areia molhada, desvio aqui e acolá de pequenas caravelas que encalharam na praia. O sargaço ainda não dominou a extensão da areia, mas salpica de quando em vez o chão lambido […]

Continue Reading

Desafio da serra

Vista da Serra de São Bento

Juntando o útil ao agradável. É assim que me sinto quando saio para fotografar competições de ciclismo. Sigo as trilhas devidamente mapeadas para os competidores, mas o olho de fotógrafa da natureza perde o foco quando se depara com o verde esparramado no caminho. Ano passado, contornei a Pedra da Boca, em Araruna/PB, mas parei tanto no trajeto, clicando a paisagem do inverno sertanejo, que perdi os ciclistas no percurso. Quando me dei conta, tive que tomar atalho até o ponto de apoio para fazer o dever de fotógrafa de mulher e mãe de ciclista. Esse fim de semana, a […]

Continue Reading

Motorista de ciclista

Castelo de pedra em Sítio Novo/RN

As palavras “paitorista”, “maetorista”, “votorista” foram introduzidas ao dicionário informal, mas será que inventaram alguma denominação para motorista de ciclista? Não que eu saiba, mas esta função está cada vez mais presente. Trata-se da pessoa que vai buscar o ciclista no final de trilhas ou passeios distantes, quando o percurso não permite o retorno pedalando, por causa da exaustão. Aí então a cronista resolve ir buscar o maridão no final da pedalada. Não que seja uma imposição, mas uma opção, porque no caminho o olho de fotógrafa pode registrar cliques interessantes. A nova função termina sendo uma diversão para a […]

Continue Reading