Velha roupa descolorida

Em tempo de pandemia e isolamento, ela vem reinando exclusiva. Acostumada a ser usada apenas durante algumas horas do dia, agora é quase uma segunda pele. Chegou com cheiro de nova; bem passada, foi exposta vaidosamente. Depois foi virando comum, guardada e retirada esporadicamente do guarda-roupa. Demarcou seu espaço e passou a ser usada com mais frequência. Com fibras maleáveis, foi adaptando-se ao contorno do corpo e não o deixa em aperto. É suficiente sábia para trazer conforto e aconchego. Em tempo de quarentena, está sendo muito mais demandada. Como a frequência exige, uma só não é suficiente. Ganhou companheiras, […]

Continue Reading

Música e adolescência

Ilustração de Andrea Ebert – Visite seu site: www.andreaebert.com Outro dia passando por um sinal, deparei-me com um vendedor de pirulito de tabuleiro. Dei uma volta no tempo e fiquei imaginando se teria o mesmo sabor da infância, mas não ousei experimentar, achei mais prudente resgatar nos furinhos da tábua da memória o sabor daquele doce infantil. Vasculhando leituras e ouvindo podcasts, deparei-me com tentativas da neurociência em explicar o porquê de a comida ser tão marcante na formação do paladar quando criança e a música da adolescência permanecer tão enraizada na memória dos idosos, sem ser atingida pelo desgaste […]

Continue Reading

Uma Páscoa diferente

Quando eu era criança, costumava passar a Semana Santa na fazenda, aproveitando o verde trazido pela estação das chuvas. Família reunida, os insetos rodopiando ao redor das lâmpadas, as moscas exigindo cuidado, o coaxar dos sapos e as conversas do alpendre no Sábado de Aleluia, depois de malhar o Judas e comentar os roubos de galinha. No dia seguinte, a criançada acordava cedo para a brincadeira preferida do Domingo de Páscoa: procurar os ovos de chocolate que os pais tinham escondido em pontos estratégicos do terreiro. Tarefa fácil para quem estava acostumado a encontrar os ovos verdadeiros das galinhas poedeiras. […]

Continue Reading

Perfumes da vida

Meu nome é sentido, ninguém me toca, vê ou escuta. Estou no ar, às vezes, despertando o paladar que me agasalha em cumplicidade. Um banho demorado em tempos de sobra de tempo, finalizado com uma tolha limpinha – se fosse quarada nos lajedos do sertão, me levaria de volta no túnel do tempo. A tardinha cai e me arrisco a caminhar até à padaria da esquina, seguindo o aroma do pão que marca as horas do entardecer e do amanhecer. O bolo no forno avisa que está quase pronto. O sabor do brownie de chocolate provocando e adoçando a cozinha, […]

Continue Reading

Vamos falar de trovão

Esse ano, o inverno está diferente. Por aqui, chamamos inverno a estação das chuvas, que inicia ainda em dezembro, lá pras bandas do Maranhão e Piauí, vem descendo no mapa, passa pelo Oeste do nosso Estado – o Rio Grande do Norte –, depois pelo Seridó até chegar mais forte ao litoral, em meados de abril. Fazia muito tempo que não escutava o retumbar dos trovões. Há alguns dias, com certa timidez, eles deram o ar de sua graça, mas, essa madrugada, chegaram forte reverberando o som da natureza com toda potência, a eletricidade explodindo em raios que fizeram nossos […]

Continue Reading

Tempo de aprendizado

De repente, ele chegou por imposição, sem qualquer aviso ou previsão, atendendo aos reclames de milhões sobre a sua falta. Inesperadamente, está disponível para todos os confinados. Sem distinção de nacionalidade, o tempo emergiu, incluindo o mundo todo no mesmo barco. Em voos largos, falei sobre o ócio criativo preconizado por Domenico de Masi e o que fazer na sobra de tempo. Agora ele está aí e as pessoas, surpreendidas, questionam o que fazer com ele. Mensagens pipocam a todo instante nas mídias sociais, dando dicas sobre como enfrentar o isolamento social. Sem efeito polarizado, as pessoas estão surgindo nas […]

Continue Reading

Katherine Johnson, seu nome é determinação

Foto capturada no site da NASA Ela abriu o baú de cedro do sótão, que fazia as vezes de quarto dos meus avós, e retirou uma pequena calça desbotada. As lágrimas vieram na mesma velocidade do meu espanto. Sebastiana, minha babá quando criança, guardara algumas peças de minhas roupas infantis na fazenda onde passei divertidos períodos de férias. A lembrança virou uma relíquia. Eu a emoldurei e está na entrada do meu closet; demonstração de afetividade e carinho guardada no fundo do coração. Nasci em 1964 e acho que vestia essa calça lá pelos meus cinco anos. Mamãe era antenada […]

Continue Reading

(Re)descobrindo Veneza

Há pouco mais de dois anos, decidimos fazer uma viagem feminina em três gerações: minha mãe, eu e minha filha. Na bagagem, uma professora de História da Arte que produz arte contemporânea; uma viajante incansável e curiosa, no caso, a própria cronista; e uma jovem com rosto de adolescente, introspectiva, mas que capta como ninguém as boas dicas de viagem. Destino: Itália! Chegamos por Milão – ainda sem coronavírus e com muitos turistas –, pegamos um carro (gosto de conhecer os lugares, viajando de carro com a ajuda do GPS ou Google Maps), dormimos perto do aeroporto e no dia […]

Continue Reading