Entrevista com Palone

Palone Queiroz Leão respira trabalho. Sua fisionomia tranquila não transparece todo seu potencial na criação e produção de acessórios modernos e originais. Conheci essa designer por intermédio de meu irmão caçula, amigo de seu marido. O destino nos reuniu novamente por meio de Gracita Lopes, no planejamento de seu ambiente para Casa Cor RN 2019. Agendamos uma visita ao seu ateliê e batemos um papo para conhecer um pouco mais da sua arte.

Toco a campainha e aguardo abrirem a porta. Passo por um corredor com um paisagismo cuidadoso. Ao entrar no seu local de trabalho, deparo-me com prateleiras bem decoradas com peças da próxima estação. Na sua sala, cadernos, desenhos em andamento, peças prontas, outras em montagem, miçangas, linhas, couros, colares, pulseiras, caixinhas e acessórios organizados.

Com água aromatizada e um cafezinho saboroso, Palone me recebeu com simpatia para uma conversa descontraída.

Ateliê Palone Design

Elza Bezerra: Como você se tornou designer de acessórios e de onde veio todo esse talento?

Palone: Minha mãe era professora de bijuterias e vendia joias. Hoje é ela é ourives. Na infância, frequentava seu ateliê e passava muito tempo ajudando-a e manuseando o material após as aulas. Cresci nesse ambiente. Cursei Administração, engravidei, casei e senti a necessidade de encontrar uma fonte de renda. Desde o início, abracei o ofício como profissão. Tinha plena consciência que tiraria dali o meu sustento. Trabalhava a noite inteira até às 5h da manhã, criando, executando, pesquisando, estudando moda para conhecer os materiais nas composições.

Elza Bezerra: Há quanto tempo você trabalha com esse ofício de transformar pedras e resinas em acessórios incríveis?

Palone: Há dezoito anos. Tudo fruto de muito trabalho e pesquisa. Fiz coleções para algumas marcas do mundo da moda, mas agora tenho marca própria, a Palone Design. Estudo os tecidos e texturas que melhor se adaptam às peças que desenho e produzo. Estou sempre antenada com a moda e as tendências no vestir. Os acessórios, inevitavelmente, completam o visual da mulher moderna.

Elza Bezerra: Como é o seu dia a dia e onde busca inspiração?

Palone: Meu dia a dia é sempre de muito trabalho. Busco inspiração por toda parte. Estou sempre preocupada em inovar e encontro nas viagens de fim de semana com os amigos, na natureza, na praia e na arquitetura excelentes fontes. A interligação da decoração com a moda e a globalização são instrumentos interligados para criatividade e ainda tem a Pantone sugerindo cores para cada estação, que são adotadas por esses vários segmentos.

Elza Bezerra: Fale um pouco sobre sua relação com os materiais que utiliza e seu ambiente de trabalho.

Palone: Começo desenhando as peças em papel a lápis. Depois são feitos os moldes para peças de metal e resina, que são produzidas fora e retornam para finalização dos acessórios com o trabalho manual de macramê, couro e tudo o mais que é visto nas diversas coleções. Hoje em dia consigo dormir mais tranquila, apesar de todo trabalho. Só perco o sono em vésperas de desfiles e lançamentos de coleções.

Elza Bezerra: Como é a sua relação com as clientes?

Palone: As clientes são sempre fonte de inspiração e dão um feedback importante. Elas gostam de guardar peças de cada coleção, estimulando-me a sempre inovar.

Elza Bezerra: Em primeira mão, conte um pouco sobre a ligação com Gracita e Sheila Lopes e de como surgiu a ideia do espaço que estão preparando para Casa Cor RN 2019, o estúdio Pedra.

Palone: Gracita já era nossa cliente e, por admiração, eu a convidei para fazer uma coleção junto com Flávio Freitas, que ainda não está finalizada. A partir daí, ela me convidou para fazer uma peça para o Estúdio Pedra, o ambiente dela e de Sheila Lopes na Casa Cor RN 2019, que será uma releitura de um ateliê de produção de acessórios. São caminhos de mão dupla, ela e eu como fontes de inspiração no trabalho com a pedra, seu manuseio, sua força e energia.

Elza Bezerra: Hoje Palone Design está em Natal, Pipa, Recife e São Paulo. Com tanto trabalho, quais os seus projetos para o futuro?

Palone: Em Pipa, estamos com o projeto Life Style, que são peças à venda nos hotéis de charme para clientes que gostam de peças mais ousadas com referência à moda e à natureza, tão exuberante naquela praia. A loja de São Paulo está sendo cuidada como um bebê, com todo o carinho, levando a criatividade nordestina para cidade. Como projeto futuro está a criação de joias, seguindo o caminho de minha mãe.



Estúdio Pedra

Mãos que transformam
a solidez da pedra (profunda)
Mãos que lapidam
a natureza inspiradora
em adornos para o olhar

Olhar que se encanta
e encanta
Refletindo o brilho da pedra lapidada
e a transforma
em sorriso (riso)… profundo

Acesse também: Entrevista com Gracita Lopes e Entrevista com Flávio Freitas.

Leia também

1 comentário

  1. Parabéns …👏👏👏👏🍾sou fã de carteirinha do sua trabalho e admiro o seu estilo de vida e caracter : pessoa, simples , talentosa de muito luz .✨Deus continue a abençoar e a abrilhantar ainda mais sua vida!!!!!👏👏👏😘🙌🙏✨✨✨

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *