Futuro que se faz presente

Quando era criança, adorava o desenho animado “Os Jetsons” de Hanna-Barbera. Não perdia um episódio e me divertia com os personagens da família – George, sua esposa Jane e seus filhos Elroy e Judy, além, é claro, da babá robô Rosie e do cão Astro – moradores de Orbit City.

Na infância/adolescência, meus filhos jogavam Sim City, administrando uma cidade fictícia que pipocava progresso de acordo com as decisões tomadas.

Agora o futuro bate às portas do Japão. Aos pés do Monte Fiji, distante aproximadamente 100km de Tóquio, a Toyota decidiu criar uma cidade protótipo (tudo a ver com a Orbit City), onde serão testados veículos autônomos, tecnologia inteligente e vida assistida por robôs.

A Woven City concentrará 2.000 pessoas, entre pesquisadores, cientistas e engenheiros, além dos funcionários da empresa e suas famílias, aposentados, varejistas e outros parceiros do projeto, testando tecnologias emergentes em um “ambiente da vida real”.

Woven City

Uma combinação de energia solar, energia geotérmica e tecnologia de células de combustível de hidrogênio abastecerá edifícios e veículos de pessoas conectados, comunicando-se por meio de dados e sensores, possibilitando diversos testes com Inteligência Artificial, tanto no mundo virtual quanto no físico, maximizando seu potencial.

O projeto é uma colaboração entre a montadora japonesa e a empresa de arquitetura dinamarquesa Bjarke Ingels Group (BIG), que projetou o plano diretor da cidade. A construção iniciará em 2021, mas não tem data para conclusão.

Não sei se existirão os carros voadores dos Jetson, que se transformavam em uma pequena valise de trabalho, mas somente carros totalmente autônomos e com emissão zero poderão operar em suas ruas. As ruas principais serão usadas por veículos autônomos, incluindo o Toyota e-Palette; as ruas menores serão para outros modos de transporte pessoal, incluindo bicicletas, scooters e o i-Walk da Toyota; e o terceiro tipo de rua será totalmente para pedestres.

Considerando que a tecnologia, as mídias sociais e o varejo on-line estão substituindo e eliminando os locais de encontro naturais, a Woven City explorará maneiras de estimular a interação humana no espaço urbano. Segundo Akio Toyoda, CEO da Toyota, “a conectividade humana é o tipo de conectividade que gera bem-estar e felicidade, produtividade e inovação”.

Se as previsões de Domenico de Masi estiverem certas, as horas de lazer no futuro serão ampliadas, uma vez que a tecnologia e a robótica assumirão muitas atividades corriqueiras.

É o futuro que se faz presente. Precisamos correr atrás e investir em educação, para que nosso país não fique alijado do restante do mundo. A tecnologia da informação progride vertiginosamente. Nesse ponto, William Hanna e Joseph Barbera foram visionários, sua previsão para 2062 parece ser antecipada em quarenta anos.


Os Jetsons – episódio 01

Woven City – Novo projeto da Toyota

Acesse também: Sons de todo dia, Ser criativa e Honestidade.

Leia também

4 comments

  1. Muito bom saber desse novo projeto e o quanto ele antecipa o futuro do nosso imaginário infantil. Mas ao mesmo tempo, intrigante e triste termos esse mesmo Mundo cheio de diferenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *