Mãe é, antes de tudo, uma fortaleza

Nesse domingo, celebra-se mais um dia das mães. Dessa vez, para mim, a sensação é diferente. Estou curtindo a boa nova de que serei avó em novembro próximo.

Recebi a notícia no momento da perda do meu pai. Uma vida que parte e outra que chega, para alegrar os dias de luto e dar continuidade aos valores transmitidos de geração em geração.

Meus filhos alcançaram avós, bisavós e trisavó vivas. Como as mulheres estão deixando para engravidar com mais idade, acho que a figura da trisavó entrará em extinção e a bisavó será uma raridade. Então é aproveitar o privilégio de ser avó enquanto essa figura não desaparece.

Elza e as cinco gerações: Dulce, Yvete, Haroldo e Cecília

Dizem que é ser mãe duas vezes, será…?

A sábia mãe natureza poupou o corpo da avó de sofrer as transformações provocadas pelos hormônios em ebulição, as dores do parto, o sono perdido, as inseguranças diante da fragilidade de um novo ser – uma compensação pelos longos anos de aprendizado e fortalecimento no exercício da maternidade.

Deixou para a avó a parte boa, os benefícios de curtir os netos, com permissão para, na surdina, “deseducar” ou quebrar regras determinadas pelos pais, premiada com a felicidade estampada nos olhos de seus cúmplices.

As funções de mãe são para a jovem mulher, que tem o privilégio da gestação, do parto e da amamentação. Fases necessárias para fortalecer-se diante da conjugação dos novos verbos que chegam em abundância com a maternidade: amar, doar, acalentar, dedicar, brincar, dar, sofrer, chorar, consolar, alimentar, alegrar-se, brigar, curar, padecer, perdoar, ensinar, orientar, educar, defender, enfrentar, confortar, renunciar…impossível enumerar todos.

Em tempos modernos, acrescente-se a função de prover. Cada vez mais mulheres tornam-se provedoras, exigindo ainda mais do seu desempenho. Com tantas tarefas, mãe é sinônimo de coragem e dedicação nessa nobre missão de padecer no paraíso e colher, com o coração em êxtase, os frutos que plantar.

Para exercer tantos papeis, parafraseando Euclides da Cunha, a mãe é, antes de tudo, uma fortaleza; um misto de delicadeza e firmeza. Por isso mesmo, um dia é pouco para homenageá-la, prefiro desejar felicidade diária para as mães, avós, bisavós e, quem sabe, trisavós, nesse mister que só a natureza feminina é capaz de enfrentar.


Carlos Drummond de Andrade

Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Adriana Calcanhotto – Fico Assim Sem Você (Video Clipe (Extras))

Acesse também: Memórias roubadas, Caixas e álbuns de fotografias, A arte de cozinhar, Nadando contra a corrente.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *