Reinventando a cozinha

O prato da balança aguardava o peso para conferir a pesagem. Mais adiante, o feirante anunciava num ritmo frenético as suas mercadorias. Os passantes observavam e até tocavam os produtos, antes de fechar o pedido. As cuias, repousadas sobre as sacas, aguardavam o freguês para medição. Assim as feiras se desenrolavam e ainda se desenrolam mundo afora, agora com a introdução de novos equipamentos de pesagem, mais limpeza e organização. O alimento também passou por uma modernização ao longo da história da humanidade. Há um tempo atrás, ao homem importava apenas o sabor dos alimentos, sem dar ouvidos à visão […]

Continue Reading

Descoberta musical

LP Cazuza e Barão Vermelho

Quando meu filho ainda era criança, pediu-me para comprar o CD do Pato Fu. Eu tomei um choque. Pato o quê…? De repente senti um alerta no chip regulador da idade. Como é que eu, que sempre gostei de música, não conhecia a banda mineira?! Corri para loja e comprei o CD. Deparei-me com a voz suave de Fernanda Takai – lembrando Nara Leão – e tomei uma resolução definitiva. Daquele dia em diante, iria me esforçar bastante para estar atualizada nas novidades musicais, uma receita infalível para manter a mente jovem. É claro que essa resolução passaria por um […]

Continue Reading

Verão que finda

lua cheia

Escondida por trás de nuvens de verão – que vai terminando – espreito a terra por venezianas irregulares. Tento, mas não consigo esconder-me totalmente. Revelo-me lentamente, mas meu volume e luminosidade não me permitem a ocultação. Ilumino uma imensidão de água temperada, facheando um mundo aquático, enquanto minha força faz crescer e recuar a maré até o limite das brancas espumas. Em terra firme, pontilhões de luzes são incapazes de realçar como eu, mas denunciam a presença do ser humano. Vou seguindo meu trajeto e iluminando a noite, trazendo luz para uma terra sombreada. Satélite da terra, alimento-me da luz […]

Continue Reading

Pausa para recarregar

Flor na pedra

O café passado manualmente, exalando o cheiro pela casa, despertando os sentidos saborosamente. O pão quentinho derretendo a manteiga para azeitar a refeição. Pessoas sentadas à mesa, compartilhando a primeira refeição matinal. Almoço em família com direito a cochilo reparador. Final de tarde, cadeiras nas calçadas, encontro vespertino para colocar em dia as novidades do dia. Jantar com mesa posta, televisão e conversa entre amigos, olho no olho, antes da pausa para o descanso. Onde foi parar tudo isso? O tempo encurtou ou fomos nós que lhe apressamos? Os ponteiros aceleram, as horas passam rapidamente, os dias se tornam mais […]

Continue Reading

Turismo em posts

Florença

Florença Há poucos dias li na coluna de Zeca Camargo o artigo Veni, Vidi, Troli, publicado na Folha de São Paulo, no qual o jornalista viajante relatava sua tristeza ao constatar que as ricas experiências de viagens são reduzidas a piadas em redes sociais. No caso, o menosprezo com a monumental estátua de David de Michelangelo em Florença, símbolo da Renascença. Chego à aula de francês e o tema é turismo. A professora indaga se os alunos costumam pesquisar sobre os destinos escolhidos para as próximas viagens de acordo com o interesse individual. Na classe, a resposta é positiva. Ela […]

Continue Reading

Frida Kahlo

Cartaz da exposição Frida Kahlo

“Me pinto a mí misma, porque soy a quien mejor conozco”. Com a frase na cabeça, aguardava paciente na fila do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, final de outubro de 2015, para ver a exposição Frida Kahlo: conexões entre mulheres surrealistas no México. Tinha acabado de ler sua biografia e aproveitei a oportunidade para apreciar a sua arte. Tenho especial admiração por mulheres fortes e Magdalena Carmen Frieda Kahlo Calderón insere-se nessa classificação. Nascida em 1907, em Coyoacán, antigo distrito residencial na periferia sudoeste da Cidade do México, a pintora faleceu jovem, aos 47 anos de idade, mas deixou […]

Continue Reading

Não nasci passarinho

Foto do pôr-do-sol

Não nasci passarinho, mas muito cedo aprendi a voar. Primeiro nos livros, onde a imaginação pode levar o leitor mundo afora. Depois na música, a depender do estado de espírito, voa-se alto no imaginário. Em seguida, ainda criança, descobri o encanto de estar acima das nuvens para chegar a lugares distantes. Escutar aquele coraçãozinho batendo apressado no ultrassom, o choro estridente do nascimento e o balbuciar das primeiras sílabas são emoções gravadas para sempre na memória dos pais. A junção das sílabas e a leitura das primeiras palavras também provocam fortes sensações. Daí em diante, com o estímulo adequado, a […]

Continue Reading