Prêmio Pritzker de Arquitetura

Universita Luigi Bocconi – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Federico Brunetti.

Marcus Vitruvius Pollio, arquiteto romano que viveu no século I a.C., deixou para as gerações seguintes a obra De Architectura, na qual constam os princípios conceituais da arquitetura clássica: “utilitas” (utilidade), “venustas” (beleza) e “firmitas” (solidez).

Esses mesmos princípios constam no verso do medalhão de bronze, gravados na língua inglesa, entregue aos laureados com o Prêmio Pritzker, uma espécie de Prêmio Nobel da Arquitetura, que escolhe, dentre os arquitetos vivos, aqueles cujo trabalho demonstra uma combinação de talento, visão e comprometimento, com contribuições consistentes e significativas para a humanidade e o ambiente construído através da arquitetura como arte.

Instituído por a Fundação Hyatt, da família Pritzker, aquela da rede hoteleira que tem origem na cidade americana de Chicago, o prêmio é entregue anualmente desde 1979 e já contemplou dois arquitetos brasileiros: Oscar Niemeyer em 1988 e Paulo Mendes da Rocha em 2006.

O prêmio consiste no valor de US$ 100.000 e o medalhão de bronze. A cerimônia é realizada sempre em maio, em local arquitetonicamente significativo para o mundo, mas ainda não anunciado em 2020.

No último dia 03 de março, foram anunciadas as laureadas de 2020: as arquitetas e professoras irlandesas Yvonne Farrell e Shelley McNamara, fundadoras da Grafton Architects (1978) em Dublin, onde trabalham e residem. O escritório de arquitetura é reconhecido, sobretudo, por edifícios educacionais.

Yvonne Farrell e Shelley McNamara – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Alice Clancy

É a primeira vez que o prêmio é compartilhado entre duas mulheres. Em edições anteriores, Zara Hadid foi contemplada em 2004; em 2017, Carme Pigem dividiu o prêmio com Rafael Aranda e Ramon Vilalta (RCR Arquitectes); e em 2010, a arquiteta japonesa Kazuyo Sejima, juntamente com Ryue Nishizawa, sócios do estúdio de arquitetura SANAA, foram agraciados com o Pritzker. 

Ao justificar a escolha, dentre outras afirmações, o júri destacou “como arquitetas e educadoras desde a década de 1970, Farrell e McNamara criam espaços que são ao mesmo tempo respeitosos e novos, honrando a história enquanto demonstram um domínio do ambiente urbano e do ofício da construção. Equilibrando força, delicadeza e mantendo uma reverência de contextos específicos do local, suas instituições acadêmicas, cívicas e culturais, bem como os empreendimentos habitacionais, resultam em obras modernas e impactantes que nunca repetem ou imitam, mas são decididamente de sua própria voz arquitetônica.”

Em pouco mais de quarenta anos, elas concluíram quase o mesmo número de projetos, localizados na Irlanda, Reino Unido, França, Itália e Peru, destacando-se, dentre eles: a Universita Luigi Bocconi (Milão, Itália 2008), o Campus Universitário UTEC (Lima, Peru 2015), o Institut Mines Télécom (Paris, França 2019) e a Université Toulouse 1 Capitole, School of Economics (Toulouse, França 2019).

Université Toulouse 1 Capitole, School of Economics – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Dennis Gilbert
UTEC Lima – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Iwan Baan
Town House Building, Kingston University – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Ed Reeves
Institut Mines Télécom – Foto capturada em www.pritzkerprize.com, cortesia de Alexandre Soria

Os princípios da arquitetura clássica, no tempo atual, estão expressos nas obras das arquitetas premiadas, Yvonne Farrell e Shelley McNamara.


Yvonne Farrell

Ensinar para nós sempre foi uma realidade paralela. E é uma maneira de tentar destilar nossa experiência e presenteá-la a outras gerações que estão chegando, para que elas realmente tenham um papel no crescimento dessa cultura. Portanto, é uma coisa bidirecional: aprendemos com os alunos e esperamos que os alunos aprendam conosco.

Cities – Vídeo disponibilizado pelo Pritzker Prize

Acesse também: Arquitetura na Rioja, Entrevista com Gracita Lopes e Futuro que se faz presente.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *