Ronnie Scott, 103 anos de extraordinária vitalidade

Foto do jornal Clarín, capturada na Internet

Minha Tia Zorilda mora em San Isidro, região metropolitana de Buenos Aires, Argentina. Próximo à sua casa, bem na rua de trás, vive um personagem lendário e famoso: Ronald David Scott, conhecido carinhosamente por Ronnie Scott.

Essa semana ele foi recebido por minha Tia e seus filhos Luis e Natália para um chá da tarde. O encontro rendeu esse post, em que Luis descreve um pouco da vida extraordinária desse senhor que lutou na Segunda Guerra Mundial, mantém uma memória e vitalidade inacreditáveis e merece servir de inspiração para muita gente.


Luis e Ronnie Scott

Ronnie Scott

Por Luis Bezerra Kmentt

Chegar aos 100 anos já é uma proeza, aos 103 então, é incrível! Mas chegar nessa idade e fazer coisas que muitos de nós desistimos, porque “a idade não ajuda”…, apresento-lhes a Ronnie Scott.

Ex-piloto na WWII de Spitfires ou encarregado da evacuação civil subterrânea nos bombardeios ao sul do Tâmisa, em Londres, durante a Segunda Guerra Mundial, este anglo-argentino é aquele que todos gostaríamos de vir a ser.

Feliz com a carta da rainha Elizabeth II condecorando-o por ser ex-combatente com mais de cem anos, mora sozinho num apartamento confortável de dois quartos no quinto andar, com vista ao Clube de San Isidro (CASI), onde costuma frequentar para assistir a jogos de Rugby ou jogar Bochas. Devoto da igreja anglicana metodista do bairro aos domingos, participa de um grupo paroquial.

Ronnie faz tudo de bicicleta!

Foto: Luciano Thieberger, capturada na Internet no jornal Clarín

Vejam: ver alguém de 103 anos montar numa bicicleta é apavorante; não para ele. Para mim ou qualquer mortal testemunhando a cena, com certeza, irá tentar persuadi-lo a desistir, porque acha que será perigoso demais pela idade.

Em vão! Lá vai ele fazendo sinal com o braço, ziguezagueando pelo trânsito local, ao supermercado, ao clube, comprar pão ou verduras e frutas.

– “Para mim é mais fácil em bicicleta, ponho as compras na cestinha; se fosse a pé seria muito peso pra carregar”, afirma com naturalidade.

Você conhece alguém que more sozinho, cozinhe, faça serviços domésticos, compras e ande em bicicleta aos 103 anos de idade?

Ronnie ainda tem tempo para participar de um “Book Club”. A cada quinzena, um membro contribui com um livro e é escolhido para fazer leitura em voz alta e comentários do livro anterior.

Sendo ex-colega de meu Pai, pilotos da Aerolineas Argentinas após a guerra, Ronnie ficou feliz de nos homenagear com sua visita. Revimos fotos de ambos nos tempos da aviação e histórias que só ele lembra com sua memória detalhista.

Natalia, Zorilda e Ronnie Scott
Zorilda, Ronnie Scott e Luis

Tomamos chá, sanduíches de miga e uns cookies recheados de chocolate trazidos por ele. Com companhia tão interessante, do chá passamos ao vinho.

– “Tomo uma taça de vinho todo dia e também adoro um bife” responde sobre a curiosidade na dieta.

Remédios? Só aspirina pra afinar o sangue. O único problema de saúde são feridas na panturrilha da perna, talvez devido à fragilidade capilar e aos esforços do esporte.

Além do ciclismo, Ronnie leva a sério o jogo de Bochas, um esporte  para veteranos que requer destreza, pontaria, movimentos do braço como no boliche e boa coluna para agachar, curvar e dar ginga às jogadas.

O que mais me impressionou foi sua memória (passada e atual) e a agilidade verbal com que desenvolve a conversa. Não tem a letargia característica da idade avançada.

Acrescenta, interrompe para complementar, corrige datas que eu tinha como certas. Ronnie é um caso a ser estudado. Também se interessa pelo outro, querendo saber da vida de mamãe, Natália e minha. Sabe conduzir um papo como se no auge da vida.

Sabido era entre os pilotos da Aerolíneas que o comandante Kmentt tinha casado com uma belíssima moça de Natal, Ronnie lembrou:

– “Seu Pai teve muito bom gosto em escolher uma bela mulher”. Como a Aerolíneas parava em Natal nos voos para Europa, todos os pilotos conheciam Zorilda, pelo menos de vista.

Uns anos atrás, mamãe encontrou ele na rua e se apresentou:

– “Ronnie, sou Zorilda Kmentt, brasileira de Natal/RN, lembra?”

– “Claro que sim, conheço Natal melhor que você”, brincou Ronnie. “Mas na minha cabeça te lembrava mais morena”. (de fato mamãe tinha cabelo escuro)

Falamos de política, filosofia, religião, além dos temas históricos. Uma enciclopédia ambulante.

Como ele vive a apenas um quarteirão da nossa casa, o acompanhei na volta e me convidou a conhecer seu apartamento.

Aqui mora desde 1957. Decorado em estilo inglês ainda pela esposa Maureen, falecida nos anos 90. Papel de parede e estampas florais nos sofás, um dos quartos transformado em escritório para dar lugar à vasta biblioteca, uma pequena cozinha que se desculpou pela louça suja acumulada… Ora, com 103 anos? A minha fica pior!

Não tem celular, mas assisti a documentários na TV a cabo, assim como aprecia a leitura de livros, que vi abertos na mesa da sala. Ronnie tem 3 filhos: um no Chipre, outro ex-piloto da KLM na Irlanda e um na Austrália.

Tem muitos amigos em San Isidro, alguns são comuns e costumam convidá-lo nos aniversários e festas de Natal. Na Argentina é uma celebridade, com matérias nos jornais exaltando sua saga publicadas periodicamente. Este ano será lançado um filme sobre sua vida pela BBC, gravado em 2020.

Ladies and gentlemen, Ronnie Scott!

DC6 da Aerolineas Argentinas que costumava pousar em Natal no final dos anos 40 e 50

Buena Onda: The Tale of Ronny Scott from Grammar Productions on Vimeo.

Acesse também: 102 anos de vontade própria; Katherine Johnson, seu nome é determinação.

Leia também

10 comments

  1. Sensacional a história de Ronnie, louvável por tanto prestígio e admiração ainda em vida!!! Viva o esporte pela vida!! Viva Ronnie Scott

  2. Como Aurélia Bezerra de Currai Novo, todos deveriamos poder passar dos 100, temos que orientar nossos hábitos para ter uma vida plena até o último dia!

    1. Uma pequena correção. D. Aurélia Bezerra era de Caicó. Seu pai tinha o mesmo nome do nosso avô. Nossos hábitos irão refletir nossa saúde e longevidade.

  3. Que coisa mais linda, fantástica e um privilégio poder desfrutar da companhia de uma lenda viva!
    Se eu pudesse, gostaria de conhecê-lo!
    Que bom que a BBC lançará um filme sobre sua história, mas, o melhor de tudo, é que Ronnie Scott está vivo para ver esse registro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *