Será insanidade ou prazer?

Não há dúvida que a pandemia e o isolamento social mexeram com a cabeça de muita gente. São vários os casos de depressão, ansiedade e outras doenças mentais deles decorrentes. O que eu não imaginava é que a minha insanidade viria de uma prática saudável.

Nunca, nunca mesmo, acordei às 04:20h da madrugada para praticar qualquer tipo de exercício. No máximo, estourando, 05:30h para uma caminhada ou para chegar cedo ao trabalho; um tremendo sacrifício, porque meu horário normal de acordar sempre foi seis da matina.

Pois não é que a bicicleta me fez despertar ao som do galo da madrugada!

Como diz o dito popular que entre marido e mulher “pega” até perna quebrada, acho que fui contagiada pelo vírus que contaminou meu marido há mais de doze anos e, cada vez mais, acentua nele os sintomas de insanidade por uma bike.

Comecei como motorista de ciclista, depois decidi me alinhar à minha ini(a)miga, a bicicleta. Recomecei aos poucos, algumas paradas mais prolongadas e o isolamento social me levou de volta ao selim. No início, tentativas de respirar ar puro, de sair de casa e ver o mundo com outros olhos.

O asfalto perto de casa serviu para a retomada, depois foi a Via Costeira com seu visual deslumbrante de cidade marinha. Um pouco mais de treino, o incentivo da filha e me ofereci para pedalar com o grupo Saia de Bike.

Horário da partida: 05:00h. Uau, vou ter que madrugar! A filha vai junto, porque tem muito mais aptidão esportiva do que a mãe e disposição não lhe falta.

Acordamos com a noite escura, a lua cheia linda quase tocando a linha do horizonte onde o sol se esconde. Do lado oposto, ainda não havia sinal do astro rei, então surgiu a dúvida: para uma míope, sair naquele horário, seria melhor os óculos claros ou escuros? Ainda não decidi.

O marido partiu junto até o ponto de encontro das pedaleiras, dali seguiu para seu treino supervisionado.
– Bom treino!
– Bom pedal! (Olha a diferença entre profissional e amador, rsrsrs).

Feirinha de Pium

A turma do Saia de Bike é forte, um grupo de mulheres jovens e treinadas em academia, um burburinho só, sem mimimi. E eu lá, entre as mais velhas, querendo acompanhar as atletas, rsrsrs. Consegui seguir no meio do grupo, girando minhas pernas curtas na coroa pequena.

Primeiro pedal com a Saia de Bike, sob organização de Maria Luiza Lamas: 45,29km, com média de 20,2km/h, minha pedalada mais longa até então e 31 conquistas no meu Strava, Bravo!

Feriado Nacional de 07 de setembro, comemoração do Dia da Independência do Brasil. Brasileiros loucos para aglomerarem, praias cheias e zona rural bem frequentada.

Mudança de comportamento imposto por um vírus, mais contato com a natureza, que beleza! Bicicleta e coronavírus, uma nova realidade.

Trilha em Serra de São Bento |RN

Partiu Serra de São Bento. No sábado, 30min de treino em ladeiras. Um esforço enorme para uma ciclista iniciante nesse tipo de terreno acidentado.

No dia seguinte, combino um pedal em família. Imploro por um percurso plano, mais isso não existe por lá. Pai, mãe, filha, filho e seu amigo partem em busca da trilha mais fácil possível.

Pedal em família
Sombra de ciclista

Minha primeira experiência em trilha de barro. A paisagem da serra e a luz de final de tarde deixam o olhar da ciclista mais voltado para a fotografia. As ladeiras assustam, melhor não olhar para cima. De vez em quando, parada para registrar a façanha e aproveitar o descanso.

Foram apenas 17,70km em 1:22h, ganho de elevação de 417m, velocidade média de 12,8km/h, mas o esforço foi grande para enfrentar as ladeiras de chão batido. Ainda bem que contei com o reforço de dois potentes motores de popa me ajudando: marido e filho no empurrão.

Um grande empurrãozinho
Família do pedal e amigo

E eu feliz da vida por ter disposição para acompanhá-los, juntamente com minha filha e um amigo do filho. Privilégio de quem foi mãe jovem, família que pedala unida!

Espero continuar firme no pedal, deixar a “insanidade” me contaminar em prol da minha saúde física e mental. Mens sana in corpore sano.


Bob Sinclar – Love Generation

Se você pratica ciclismo, pedala por prazer ou apenas gosta de bicicleta, acesse: Motorista de ciclista, Minha ini(a)miga, a bicicleta, Desafio da Serra, Um domingo diferente e Mont Ventoux.

Leia também

7 comments

  1. Agora é tarde, mas você teve sorte pois não foi o corona vírus que te contaminou foi o maravilhoso vírus da Bike, do pedal.
    Excelente texto, como sempre, fico aqui contando os dias pra voltar com meu pedal!!!
    Estou quase lá!!!!
    Abraço Elzinha.

  2. Muito boa Elzinha! “Insanidade saudável” ou prazer, não importa, além de maravilhosa, a crônica serviu de incentivo à quem está começando, valeu!!! 😉😂

  3. Uma mania/moda/loucura saudável para o corpo e para mente. Vc já é atleta de maratona. Se quiser se juntar ao time de ciclistas, será muito bem-vinda! Muito obrigada 😘😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *