Museus em passeios virtuais

Instituto Inhotim, Brumadinho | Minas Gerais O mundo deu uma reviravolta em pouco mais de um mês. A globalização recebeu um freio de arrumação e vários países fecharam suas fronteiras. A pandemia instalada pelo coronavírus mudou comportamentos em menos de trinta dias. Pessoas recolhidas em casa, filhos sem escola, trabalho remoto e, num piscar de olhos, a humanidade percebe que recebeu, por um caminho dramático e tortuoso, uma preciosidade que se chama tempo. Para os cientistas e pessoal da área médica, as pesquisas correm contra o tempo. Mas o cidadão comum, mesmo a contragosto, tem o tempo disponível para fazer […]

Continue Reading

Visitando a Oficina Brennand

“Recordo-me de ter encontrado a velha cerâmica São João em ruínas. Inclusive, cabe salientar que não havia necessidade de um anteprojeto, pois as antigas paredes já indicavam aquilo que devia ser refeito: as ruínas balizavam tudo. Portanto, toda e qualquer ideia chegava à medida do trabalho em progressão. Talvez, por isso, eu providenciei chamar o lugar de “oficina”, baseado na origem da palavra “ofício” (officium, em latim) que quer dizer “trabalho”; local de trabalho, evitando o francesismo atelier. Ao mesmo tempo, há a ideia de uma comunidade, à maneira das coletividades de ofício medievais e renascentistas, onde o mestre e […]

Continue Reading

Desvendando o gênio Leonardo da Vinci

Fotografia capturada no site do MIS – Experience Retroceda no tempo e sinta-se no continente europeu, quarenta anos antes do descobrimento da América. Mais especificamente no ano de 1452, na Itália, no pequeno vilarejo de Anchiano, na cidade de Vinci, Toscana. Um mundo sem água encanada e energia elétrica, iluminado por velas e lamparinas queimadas a óleo, onde a Igreja Católica, na sua Santa ignorância, impunha como verdade a Terra ser plana. Nem de longe pensava-se o homem poder voar, pilotar um helicóptero, saltar de paraquedas ou mesmo pedalar uma bicicleta. Em plena Idade Média, nascido filho ilegítimo, Leonardo di […]

Continue Reading

Imaginária

Selma Bezerra, minha mãe, vem produzindo ininterruptamente para sua nova exposição, celebrando os seus trinta anos como artista plástica, desde a primeira mostra individual. Ela pediu-me um texto para o catálogo e as palavras fluíram na mesma velocidade que ela vem trabalhando seus papeis. Tentei sintetizar as palavras da artista plástica descrevendo o seu trabalho, que é contemporâneo e indefinido, deixando para cada observador imaginar o que mais lhe identifica, daí o título da exposição – Imaginária. De palpável, a herança sertaneja junto às pedras da região, que deixam marcas e permitem à artista encontrar nos passos dos transeuntes os […]

Continue Reading

Olhar inverso

Exposição Gold – Mina de Ouro Serra Pelada – de Sebastião Salgado. Caminhava sem saber ao certo onde ia parar. Seguia o fluxo de gente, procurando o número indicativo do lugar. Cheguei, entrei e subi até o quinto andar. Gold! Mina de Ouro. Parei ali minha procura, no topo da Serra Pelada, Pará. Uma sala escura, focos em lugares estratégicos, cinquenta e seis fotografias a preto e branco. Cinquenta mil homens em busca do ouro salvador. O metal precioso embalando sonhos, coragem, luxúria, salvação ou redenção. Tudo fotografado, em 1986, pelas lentes e o olhar de Sebastião Salgado. Em plena […]

Continue Reading

Yinka Shonibare CBE

Não tenho qualquer formação em artes plásticas. Meu conhecimento nesse assunto é restrito à literatura, visitas a museus e exposições, além das conversas com minha mãe, professora de história da arte e artista plástica. O fato de eu gostar ou não de alguma obra de arte decorre, unicamente, do meu olhar. Na minha leiga imaginação, brinco que teria tal obra em minha casa, seja de artista famoso ou não, tudo a depender da minha apreciação visual. Por outro lado, certas obras, mesmo as mundialmente reconhecidas, não estariam expostas em minhas paredes. Por esse motivo, muitas vezes me indago em como […]

Continue Reading

Carrières de Lumières

Imagine um pórtico imenso de pedra calcária. Entre por uma pequena porta com tecidos pretos em volta e encontre um vão grandioso, com paredes de até 15m de altura, piso irregular e telas naturais aproveitando o espaço de uma pedreira desativada. Com uma área de aproximadamente 7.000m², a pedreira Carrières de Lumières está encravada no planalto rochoso dos arredores da pequena cidade de Les Baux-de-Provence, região PAC da França. Impressionado com a beleza do espaço, Jean Cocteau decidiu filmar “O Testamento de Orfeu” nas Carrières de Lumières, ainda nos idos dos anos 60. Em 1977, o cenógrafo Joseph Svoboda também […]

Continue Reading

Tarsila Popular

O Touro - Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral “Encontrei em Minas as cores que adorava em criança. Ensinaram-me depois que eram feias e caipiras. Segui o ramerrão do gosto apurado… Mas depois vinguei-me da opressão passando-as para minhas telas: azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo, verde cantante, tudo em gradações mais ou menos fortes conforme a mistura de branco. Pintura limpa, sobretudo, sem medo de cânones convencionais. Liberdade e sinceridade, uma certa estilização que adatava a época moderna. Contornos nítidos, dando a impressão perfeita da distância que separa um objeto de outro“. Ainda adolescente, tive um caderno com a capa do “Abaporu”. Não tinha qualquer […]

Continue Reading