Perfumes da vida

Meu nome é sentido, ninguém me toca, vê ou escuta. Estou no ar, às vezes, despertando o paladar que me agasalha em cumplicidade. Um banho demorado em tempos de sobra de tempo, finalizado com uma tolha limpinha – se fosse quarada nos lajedos do sertão, me levaria de volta no túnel do tempo. A tardinha cai e me arrisco a caminhar até à padaria da esquina, seguindo o aroma do pão que marca as horas do entardecer e do amanhecer. O bolo no forno avisa que está quase pronto. O sabor do brownie de chocolate provocando e adoçando a cozinha, […]

Continue Reading

Vamos falar de trovão

Esse ano, o inverno está diferente. Por aqui, chamamos inverno a estação das chuvas, que inicia ainda em dezembro, lá pras bandas do Maranhão e Piauí, vem descendo no mapa, passa pelo Oeste do nosso Estado – o Rio Grande do Norte –, depois pelo Seridó até chegar mais forte ao litoral, em meados de abril. Fazia muito tempo que não escutava o retumbar dos trovões. Há alguns dias, com certa timidez, eles deram o ar de sua graça, mas, essa madrugada, chegaram forte reverberando o som da natureza com toda potência, a eletricidade explodindo em raios que fizeram nossos […]

Continue Reading

Tempo de aprendizado

De repente, ele chegou por imposição, sem qualquer aviso ou previsão, atendendo aos reclames de milhões sobre a sua falta. Inesperadamente, está disponível para todos os confinados. Sem distinção de nacionalidade, o tempo emergiu, incluindo o mundo todo no mesmo barco. Em voos largos, falei sobre o ócio criativo preconizado por Domenico de Masi e o que fazer na sobra de tempo. Agora ele está aí e as pessoas, surpreendidas, questionam o que fazer com ele. Mensagens pipocam a todo instante nas mídias sociais, dando dicas sobre como enfrentar o isolamento social. Sem efeito polarizado, as pessoas estão surgindo nas […]

Continue Reading

Katherine Johnson, seu nome é determinação

Foto capturada no site da NASA Ela abriu o baú de cedro do sótão, que fazia as vezes de quarto dos meus avós, e retirou uma pequena calça desbotada. As lágrimas vieram na mesma velocidade do meu espanto. Sebastiana, minha babá quando criança, guardara algumas peças de minhas roupas infantis na fazenda onde passei divertidos períodos de férias. A lembrança virou uma relíquia. Eu a emoldurei e está na entrada do meu closet; demonstração de afetividade e carinho guardada no fundo do coração. Nasci em 1964 e acho que vestia essa calça lá pelos meus cinco anos. Mamãe era antenada […]

Continue Reading

Sob as sombras das árvores

A chuva veio e encobriu o rio, fez a telha resmungar os dias de sol pleno e calor intenso. Caiu forte, desabou ligeiro e rareou, também, de repente. Deixou no ar um cheiro de terra molhada, de asfalto exalando o mormaço sufocante dos últimos dias. O entardecer chegou mais cedo, tingindo de cinza a cidade marinha. Carnaval partiu e o ano começou no Brasil! Em terras banhadas pelo mar, o vento resolveu descansar. Árvores em quietude, sem farfalhar, nem balanço sensual, enquanto as copas inertes assimilam as gotas da chuva. Estrondo de trovão e elas ali, mesclando de verde a […]

Continue Reading

Um ano de blog

Foto de Cecília Bezerra Cirne Há um ano decidi criar este blog, onde publico crônicas do cotidiano, impressões sobre arte, relatos de viagens, uma pitada de gastronomia, um quê de esporte, bato um papo com entrevistados, despejo o olhar sobre a arquitetura, enfim, tento trazer mais leveza aos leitores, ilustrando os posts com fotografias, músicas e, algumas vezes, poesia. A cada dia, convenço-me que fiz a opção certa. Tenho um canal onde faço chegar aos quatro cantos do mundo os meus escritos. É gratificante ver pipocar no mapa mundi os locais onde o blog está sendo acessado. Pessoas em lugares […]

Continue Reading

Linhas sobre meu pai

Foto por Haroldo de Sá Bezerra Filho Hoje, 29 de fevereiro, meu pai completa oitenta e quatro anos. Conversando sobre o seu aniversário, me disse com ares de orgulho: fui econômico até nisso, só comemoro de quatro em quatro anos. No ano passado, o Tribunal de Contas me convidou para escrever sobre ele, Haroldo de Sá Bezerra, filho de José Bezerra de Araújo. Confesso que essa tarefa me soou mais difícil do que os livros que publiquei. Sou descendente de sertanejo, povo que tem dificuldade em exprimir sentimentos, não gosto de floreios, arrodeios, enfeites. Então fica complicado falar de quem […]

Continue Reading

Partiu Carnaval

E partiu Carnaval! Uma festa tão brasileira, sucesso no mundo inteiro, marcada pela descontração, irreverência, alegria, improviso, espontaneidade e pluralidade, transformou-se num corredor de regras, polarização, controvérsias, censuras e tantas outras coisas que lhe cassam a essência e desbotam o seu colorido. Dos salões onde os foliões giravam fantasiados nos antigos carnavais, saíram marchinhas que se eternizaram nas bandinhas de sopro. No carnaval do ano passado, essas canções foram alvo de polêmicas diversas e até proibições, mesmo sendo marcas registradas do Carnaval brasileiro, desde 1899, quando Chiquinha Gonzaga lançou “Ó Abre Alas”. Mamãe Eu Quero, Cachaça, Turma do Funil, Aurora, […]

Continue Reading