No Rastro das Águas – Capítulos 68 e 69

(…) Lá embaixo, a música começou a tocar. A casa do casal José Bezerra e Yvete estava toda preparada para receber os familiares e amigos de meio século. Era a última grande festa que eles patrocinariam na avenida Hermes da Fonseca, antes da troca de endereço. Os convidados já deveriam estar chegando, eles não se importaram. Inebriados no clima de cumplicidade, prolongaram os momentos tantas vezes compartilhados na intimidade daquelas quatro paredes; afinal, não era todo dia que um casal completava bodas de ouro. Deixassem a música tocar mais um pouco, os convidados podiam esperar. Capítulo 68 De longe pôde […]

Continue Reading

Perfumes da vida

Meu nome é sentido, ninguém me toca, vê ou escuta. Estou no ar, às vezes, despertando o paladar que me agasalha em cumplicidade. Um banho demorado em tempos de sobra de tempo, finalizado com uma tolha limpinha – se fosse quarada nos lajedos do sertão, me levaria de volta no túnel do tempo. A tardinha cai e me arrisco a caminhar até à padaria da esquina, seguindo o aroma do pão que marca as horas do entardecer e do amanhecer. O bolo no forno avisa que está quase pronto. O sabor do brownie de chocolate provocando e adoçando a cozinha, […]

Continue Reading

Arquitetura Bossa Nova, por Gustavo Sobral

Gustavo Sobral é jornalista e escritor. Adora Bossa Nova e o estiloBossa Nova. Nasceu em Natal, vive em Natal, escreve sobre Natal e as coisas daqui. No site dele, você pode baixar e ler livros como História da Cidade do Natal e Arquitetura Moderna potiguar. Acesse o site www.gustavosobral.com.br e navegue por crônicas e ensaios sobre cultura, história e literatura. Aqui, além de nos proporcionar uma leitura levíssima, cheia de estilo, ele ainda nos presenteia com a ilustração de sua autoria. Não era apenas um cantinho e um violão. É que o jeito Bossa Nova, aquele doce balanço a caminho do […]

Continue Reading

No Rastro das Águas – Capítulos 66 e 67

(…) O Brasil reza pelo restabelecimento de seu Presidente, mas sua saúde não resiste e ele vem a falecer. Emocionado, o povo vai dar seu último adeus. A eleição de Tancredo, ex-Ministro de Getúlio Vargas e ex-Primeiro Ministro do Brasil, representou o fim da ditadura e dos anos de opressão; a despedida dos brasileiros foi um gesto de decepção e desalento. Decepção, por não verem aquele que tanto lutara pela abertura política tomar conta dos destinos da nação; desalento, por temerem que a sua morte colocasse tudo a perder. Os mais novos nem se dão conta do momento histórico, mas […]

Continue Reading

Vamos falar de trovão

Esse ano, o inverno está diferente. Por aqui, chamamos inverno a estação das chuvas, que inicia ainda em dezembro, lá pras bandas do Maranhão e Piauí, vem descendo no mapa, passa pelo Oeste do nosso Estado – o Rio Grande do Norte –, depois pelo Seridó até chegar mais forte ao litoral, em meados de abril. Fazia muito tempo que não escutava o retumbar dos trovões. Há alguns dias, com certa timidez, eles deram o ar de sua graça, mas, essa madrugada, chegaram forte reverberando o som da natureza com toda potência, a eletricidade explodindo em raios que fizeram nossos […]

Continue Reading

No Rastro das Águas – Capítulos 64 e 65

(…) Mas chegou o dia do retorno a Natal. Os carros deveriam passar a qualquer custo pelo rio. Foi montada uma verdadeira operação de guerra, com os poucos recursos existentes. A profundidade nem era tanta, mas a correnteza estava forte. Juntaram os homens da fazenda, trouxeram cordas e deram início à travessia. Um a um, os carros foram atravessando, molhando os distribuidores, engasgando afogados. As crianças foram atravessadas de charrete e no lombo dos animais, mas, ao final, tudo deu certo. Mesmo água em excesso era melhor que estiagem. Capítulo 64 Lá vinha Yvete de novo com suas propostas de […]

Continue Reading

Entrevistas com D. Ignez Motta

D. Ignez e sua filha Verônica Ignez Motta de Andrade tem uma fisionomia serena e um sorriso estampado no rosto. Acolhe a todos como um colo de mãe. Suas mãos abençoadas iniciaram o trabalho na costura, mas logo foram deslocadas para quitutes saborosos.   Lembro bem de sua primeira lanchonete na Rua Gonçalves Ledo, no centro da cidade de Natal. Era para lá que mamãe nos levava para aliviar o sofrimento do dentista, que funcionava na mesma rua. Ganhávamos balas de leite da Kopenhagen, um luxo que ela trouxe para Natal, quando ninguém conhecia a famosa marca de chocolates.  D. Ignez, como é chamada pelos mais queridos, abriu […]

Continue Reading

No Rastro das Águas – Capítulos 62 e 63

(…) O cargo que assumiu adequava-se muito bem a suas pretensões profissionais. A direção da Acauan não consumia muitas energias, as diretrizes da empresa e as ações a serem executadas estavam previamente determinadas pelos acionistas majoritários. Já passando dos sessenta, José Bezerra adaptou-se bem à nova atividade e pôde dispor de tempo para cuidar de suas fazendas. A Acauan começou a produzir no final de 1970, quando o currais-novense Cortez Pereira tinha acabado de ser eleito indiretamente para o governo do Estado do Rio Grande do Norte. Capítulo 62 Os noventa milhões de brasileiros vestem a camisa da Seleção Canarinha, […]

Continue Reading