Wescley Gama, sons, poesias e histórias

Foto enviada por Wescley Gama

Edrisi Fernandes

Um conjunto de contos é como um rosário de contas; nas veredas ou pelejas do dia a dia, é com convicção que se deve olhar enxergando, e orar acreditando, para garantir a magia da leitura ou a eficácia da prece…

Conheci o seu trabalho por meio da conta de Sergio Vilar no Instagram. Visitei seu feed, naveguei pelo Google e ouvi o Spotify; rapidamente conheci um pouco da obra de Wescley Gama, compositor, músico e poeta.

Nascido em São Vicente/RN, onde a Serra de Santana despeja seus derradeiros volumes, cresceu menino de sítio, transitando entre os cajueiros da chã em bicicleta de barra circular.

Ainda criança, foi morar em Currais Novos. Manteve-se no Seridó, onde fincou raízes e apurou a sensação de pertencimento.

Sua mãe apresentou-lhe o cordel. A lenha estalando para um cafezinho coado no pano, o cheiro inundando a casa, escutava as fitas K7 que recebia do pai ou as gravava encostando o gravador junto ao rádio. Da música popular brasileira ao rock, tomou gosto musical e abraçou a literatura.

Não sei se primeiro brotou a poesia ou a música, mas sua voz soa como riacho tranquilo, esborratando melodias suaves em poemas serenos, usando e abusando dos elementos do Sertão, mesclando regionalidade, rock e blues. Virou artista premiado na música e poesia.

Foi abrindo ferrolhos de portas; juntou-se aos amigos Edson Neto, Elina Carvalho, Iara Carvalho, Luma Carvalho e Paula Érica e criaram o Casarão de Poesia, ONG instalada em Currais Novos/RN, com uma biblioteca comunitária de mais de 10.000 exemplares, disponibilizados para toda cidade, além de oferecer cursos gratuitos de pintura, música e poesia.

Em tempo de pandemia, reunia sua poesia com a fotografia de Állan Matson e lançou o e-book “Fotopoemas em pandemia”.  Esse ano também rendeu o e-book “Olho em perfeito silêncio para as estrelas”, conto em parceria com 20 professores do campo de Lagoa Nova/RN, onde cada um imaginou um final diferente para a mesma história.

Wescley segue sua sina, produzindo sons, poesias e histórias.


Clique nos links e conheça um pouco de sua obra:

e-book: Fotopoema em pandemia – Wescley Gama e Állan Matson

e-book: Olho em perfeito silêncio para as estrelas – Wescley Gama & Professores do Campo (Serra de Sant’Anna – Lagoa Nova/RN)


Wescley Gama – Herança (Dir. Dynho Silva)

Acesse também: Sorriso de menino, Caminho da Infância, Memórias roubadas e Fazenda em festa.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *